Para SZA, dela Prêmio Grammy as perdas não “atingem de forma diferente”.

Em sua história de capa entrevista com Cosmopolita, a cantora de R&B, nascida Solána Imani Rowe, falou sobre sua nova música e como ela não guarda ressentimentos depois de ser desprezada depois de ser indicada nove vezes nos Grammys de 2018 e 2019.

“Sou apenas uma garota do subúrbio. Nunca sonhei em ser indicada ao Grammy”, disse a jovem de 30 anos contou Cosmo para sua edição de fevereiro. “Achei que ia ser ginasta e um contador de negócios em algum lugar. Ou trabalhar na empresa Nike ou alguma merda em Portland. Quem sabe, mas algo que envolvia um traje de força. Portanto, não é um fardo pesado.”

Depois de ser indicada cinco vezes em 2018 – incluindo melhor nova artista, que ela perdeu para Alessia Cara, e por várias músicas no Ctrl – muitos fãs e amantes da música falaram contra o Grammy. (Ela até defendeu Cara em uma entrevista.)

RELACIONADOS: Justin Bieber, Garanhão de Megan Thee, John Legend e mais reagem às suas nomeações para o Grammy em 2021

“Depois de ser indicado e perdido, você fica muito livre porque não está preocupado”, acrescenta ela. “Passei esse limiar anos atrás – é uma velha energia para mim. Por que eu ficaria bravo?”

A cantora – que lançou “Good Days” no dia de Natal – também falou sobre a saída de seu processo criativo enquanto trabalha em seu próximo álbum.

“Este álbum vai ser o s— que me fez sentir algo no meu … aqui e aqui”, disse ela ao outlet, sinalizando para seu intestino e coração. “Isso é o que vai acontecer no álbum. Estou fazendo todos os tipos diferentes de s – todos os dias de diferentes lugares em meu espírito.”

Ela também explicou como as coisas mudaram para ela desde o lançamento de Ctrl.

“Agora, mais do que nunca, estou apenas descobrindo – quem eu sou e o que quero que seja”, disse ela. “Antes, era mais para deixar as pessoas saberem que eu era um bom escritor e que não deveria ser excluído.”

RELACIONADOS: Todas as sugestões e surpresas para o Grammy de 2021, de The Weeknd Shocker a BTS ‘Nod

“E agora é mais, você tem poder; você pode moldar o mundo com base nas coisas com as quais você realmente se preocupa”, acrescentou ela.

A cantora também falou ao canal sobre como 2020 – com sua pandemia e bloqueio de meses – a mudou.

“2020 definitivamente afetou minha capacidade de criar e apenas a maneira como vejo tudo”, diz ela. “Isso me forçou a reestruturar.”

“Estou tão entediada quando não estou oprimida”, acrescentou ela.

Fonte